A ORIGEM DO NOME

O nome Mayamba, por que passa a designar-se a Editora, advém do nome da minha/nossa avó materna – Mayamba-ma-Nfuka. É uma homenagem àquela que, sem dúvida, foi o pilar na nossa educação e formação. Não vivendo propriamente num regime matriarcal, a avó Mayamba assumiu, na ausência dos tios e irmãos então refugiados no Congo belga até 1975, a testa da sua família e da kanda – o kimbuku-tunga ou yanda. Era ela quem encabeçava os axi-kimbunku ou axi-yanda em todos os assuntos em que se vissem envolvidos, desde casamentos a óbitos.

Ainda criança vi, algumas vezes, a avó Mayamba, com as suas próprias mãos a construir a sua “kilala” (casa de campo, feito de pau-a-pique, barreada e coberta de capim), junto às suas lavras e a mandar erguer na aldeia, casas de adobe e chapas de zinco, pagando os custos com os seus rendimentos provenientes da venda do excedente de makesse (bombó), ginguba e gergelim, sobretudo. Teve gado caprino, suíno e galinhas e abundante produção de ginguba, mandioca, gergelim e inhames e era destra no domínio das plantas medicinais locais para nos curar do paludismo e de outras doenças e desparasitar-nos.

A avó Mayamba, oficialmente, 82 anos, mas para nós mais de 90 anos de idade, é iletrada e não fala português. Só se exprime em kikongo. Desde cedo compreendeu a importância da escola. Não podendo dar educação escolar aos seus próprios 5 filhos, um dos quais cegou aos 18 e faleceu aos 25 anos de idade, apostou nos seus dois primeiros netos – Arlindo e Julieta, filhos da sua primeira filha, Isabel Matsoka. Confiou-os aos respectivos padrinhos de baptismo e hoje ambos são técnicos superiores. Arlindo é jornalista e editor literário e Julieta é médica especialista em oncologia. Por intermédio destes, sobrinhos e outros netos e bisnetos conseguiram obter graus universitários. Como resultado do seu empenho tem, hoje, mais de dez licenciados na família.

A avó Mayamba mesmo não sabendo ler e escrever comprava livros para os netos Arlindo e Julieta se ilustrarem e percorria – muitas vezes à pé – mais de 30 quilómetros, de Nkaíndu a Nsoso, ou 70 quilómetros, em cima de camiões dos colonos comerciantes ou de “Carreira” (maximbombo ou autocarro), até à vila de Damba, sede do município com o mesmo nome, para levar a fuba de bombó, a ginguba, o milho, a batata-doce, o inhame, a kikwanga e outros produtos do campo para ajudar nas despesas dos padrinhos que cuidavam dos dois netinhos.

A Avó Mayamba é a Mater, do meu novo projecto editorial – a Mayamba Editora, a nova editora angolana, criada em homenagem a essa mulher extraordinária. A Mayamba Editora, por feliz coincidência, inicia actividade no mês de Março – o mês em que se celebra o 2 – Dia da Mulher Angolana – e o 8 de Março – Dia Internacional da Mulher

A NOSSA MISSÃO

Conhecer, avaliar e editar em livro, ou noutros suportes conhecidos e por conhecer, o melhor da produção intelectual e científica de autores angolanos e de autores estrangeiros sobre Angola.

Ajudar a formar, pelo acesso ao conhecimento e à leitura, cidadãos mais preparados, críticos e conscientes, capazes de potenciar o desenvolvimento integral de Angola no mundo contemporâneo

 

OS NOSSOS OBJECTIVOS

1. Ajudar a formar cidadãos mais preparados, críticos e conscientes em relação às pautas mais relevantes do nosso país, sejam elas políticas, sociais, económicas, ambientais e comportamentais. Ou seja, ser uma importante ferramenta para o desenvolvimento de uma Angola mais justa, inclusiva e feliz, promovendo o conhecimento e a educação de crianças, jovens e adultos, reconhecendo e privilegiando a formação integral do ser humano com transparência e qualidade, através da produção e oferta dos melhores conteúdos educacionais, culturais e científicos ao mercado, ampliando, assim, a influência positiva dos nossos títulos.

2. Promover a leitura, ser uma casa de ideias e um lugar que ajuda a sociedade a trilhar um caminho de maior lucidez, conectado ao mundo contemporâneo.

 

OS NOSSOS VALORES

Independência editorial, liberdade, conduta ética, responsabilidade, inclusão, trabalho, justiça, ousadia, optimismo, espiritualidade e amor a Angola.

 

 

 

 

A NOSSA VISÃO

Ser a referência no mercado editorial angolano pela excelência, inovação, produção e oferta de títulos da cultura imaginária e científica de Angola.